II Encontro Nacional de Kôdanshas começa nesta sexta com presença de medalhistas olímpicos no CPJ

A partir desta sexta-feira, 24, a Confederação Brasileira de Judô reunirá no Centro Pan-Americano de Judô, em Lauro de Freitas, na Bahia, cerca de 100 professores Kôdanshas brasileiros, representantes da história, das tradições e dos valores do judô, no II Encontro Nacional de Kôdanshas.

A iniciativa do presidente da CBJ, Silvio Acácio Borges, que comandará a abertura do evento nesta sexta a partir das 17h, terá uma programação especial, com mesa-redonda de debates entre quatro kôdanshas medalhistas olímpicos – Aurélio Miguel (ouro Seul 1988 e bronze Atlanta 1996), Rogério Sampaio (ouro Barcelona 1992), Douglas Vieira (prata Los Angeles 1984) e Walter Carmona (bronze Los Angeles 1984) – além de uma apresentação do gestor executivo da CBJ, Robnelson Ferreira, sobre a gestão da Confederação.
Por fim, palestra do professor 9º Dan Yoshihiro Okano encerrará a agenda do primeiro dia do evento.

– II Encontro Nacional de Kôdanshas CBJ – Inscritos

– Validação de árbitros FIJ – Inscritos

No sábado, 25, as atividades serão voltadas para o processo de validação de árbitros FIJ e contará com a presença de 90 árbitros brasileiros. A programação terá início às 9h com Seminário Teórico de Arbitragem ministrado por Ovídio Garnero, diretor de Arbitragem da Confederação Pan-Americana de Judô e membro da Comissão de Arbitragem da Federação Internacional de Judô, ao lado de Edison Minakawa, diretor de Arbitragem da Confederação Sul-Americana de Judô e coordenador de Arbitragem da Confederação Brasileira de Judô.

– Acesso aqui o infográfico explicativo e entenda o processo de atualização das categorias de Arbitragem FIJ.  

No período da tarde, a partir das 14h, serão entregues aos árbitros seus certificados de validação para a categoria FIJ C.

KÔDANSHA

Kôdansha é um título de alta graduação específico do Judô criado pelo Instituto Kodokan. Deve ser outorgado àqueles que se empenharam no aprendizado, na prática contínua, na demonstração da sua eficiência técnica em competição e na devida dedicação, no ensino, no estudo e na pesquisa.

Portanto, seu portador é depositário e responsável pela difusão dos princípios filosóficos e educacionais do Judô preconizados pelo Prof. Jigoro Kano.

 

Fonte:CBJ

Leave A Reply